MADEIRAS

Ash (Oleaceae Fraxinus)
Origem: América do Norte.
Características: Excelente apelo visual. Madeira densa, proporciona uma sonoridade com mais brilho e mais clara (som mais aberto). O Swamp Ash (variação do Ash) é mais leve.
Aplicação: Corpos e tops (sólidos).

   

Alder (Betulaceae Alnus)
Origem: América do Norte
Características: Visual interessante, é menos densa que o Ash. Timbre mais macio e com bom "sustain". Prioriza médios/agudos.
Aplicação: Corpos e tops (sólidos).      

Mogno (Swietenia Macrophylla)
Origem: Floresta Amazônica Brasileira
Características: Tonalidade marrom-avermelhada. Madeira fibrosa e de densidade média. Em construções sólidas, confere sonoridade encorpada e grave. Já nos instrumentos acústicos, gera timbre com ataque, nitidez e brilho. Vítima da exploração indiscriminada, infelizmente já é rara de ser encontrada. 
Aplicação: Braços; corpos e tops (sólidos); faixas e fundos (acústicos).  

    

Cedro-rosa (Cedrella Fissilis)
Origem: Mata Atlântica Brasileira 
Características: Tonalidade rósea-avermelhada. Alta estabilidade e média densidade. Também conhecidoaapenas como Cedro.
Aplicação: Braços (acústicos); corpos (sólidos).

Marupá  (Simarouba Amara)
Origem: Norte do Brasil
Características: Tonalidade amarelada. Sua resistência e leveza a aproxima do Cedro-rosa. Também conhecida como Caixeta.
Aplicação: Corpos (sólidos); faixas e fundos (acústicos).

 

Jacarandá da Bahia (Dalbergia Nigra)
Origem: Mata Atlântica Brasileira
Características: Vítima da exploração não sustentável desde 1500 e proibida comercialmente desde 1969, a nobre madeira brasileira já foi aplicada em instrumentos de alto custo por grandes luthiers ao redor do mundo, além de compor violões das marcas Martin e Gibson. Extremamente ressonante. Tonalidade marrom/avermelhada/preta mesclada, de beleza incomparável.
Também chamada de  Brasilian Rosewood (erroneamente, pois no Brasil há outras espécies de Brasilian Rosewood). Boas madeiras alternativas têm sido utilizadas para substituir o Jacarandá da Bahia, como o Indian Rosewood, mas não com a mesma qualidade tonal.
Aplicação: Faixas e fundos (acústicos); escalas; cavaletes.  

Ébano (Diospyros Ebenum)
Origem: África.
Características: Coloração preta. Uma das madeiras mais densas do planeta. Proporciona timbres agudos. Também conhecido por Ebony.
Aplicação: Escalas, peças de violinos e violoncelos, instrumentos de sopro, instrumentos de percussão.

Pau-ferro (Machaerium Scleroxylon)
Origem: Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil.
Características: Visual semelhante ao Indian Rosewood. Boa sonoridade e já também bastante rara. Também conhecida por Caviúna em algumas partes do Brasil.
Aplicação: Escalas; faixas e fundos (acústicos).

Maple (Sapindaceae Acer)
Origem: America do Norte
Características: Conhecida por sua versatilidade, é largamente aplicada tanto em instrumentos sólidos, como em acústicos. Sua excelente sonoridade a coloca como matéria-prima inclusive de alguns instrumentos de percussão. Diversificada também quanto ao aspecto visual, as variações como "birds eye", "flamed" (tigrado), "quilted", "garlic" e "hard" garantem sofisticação em instrumentos de alto custo.
Aplicação: Braços e tops (sólidos); faixas e fundos (acústicos).  

    

Pau-marfim (Balfourodendrum Riedelianum) 
Origem: Sul do Brasil e Mercosul.
Características: Tonalidade amarelada com figuras em alguns casos. Densidade próxima do Jacarandá, embora com menos "sustain". Ainda encontrada com relativa facilidade.
Aplicação: Braços; escalas; faixas e fundos (acústicos).

 

Abeto-alemão (Picea Abies)
Origem: Norte da Europa.
Características: Tonalidade amarelada. Muito tradicional, tem sido utilizada há séculos em violinos e violoncelos. Também conhecido como Pinho ou Pinho sueco.
Aplicação: Tampos (acústicos).

Cedro-do-Canadá (Thuya Plicata)
Origem: Noroeste da América do Norte.
Características: Tonalidade marrom-avermelhada. Um pouco menos densa e rígida que o Abeto. Também conhecido como Cedro Candense,  Western Redcedar, Cedro-Vermelho-do-Oeste ou Cedro-do-Óregon. 
Aplicação: Tampos (acústicos).

Cedro-do-Líbano (Cedrus Libanni)
Origem: Oriente Médio até Península Ibérica.
Características: Tonalidade marrom. Madeira conhecida também pelo seu aroma agradável. 
Aplicação: Tampos (acústicos) .

Spruce (Picea Rubens, Picea Glauca e Picea Mariana)
Origem: Sudoeste do Canadá e Nordeste dos EUA.
Características: Tonalidade em cor de palha. Os nomes rubens, glauca, mariana se referem às variações de tonalidades vermelha, branca e preta, respectivamente.
Outros nomes: Red Spruce, White Spruce, Black Spruce e Eastern Spruce.
Aplicação: Tampos (acústicos).

Sitka Spruce (Picea Sitchensis)
Origem: Costa Oeste da América do Norte.
Características: Tonalidade róseo-clara. Um pouco mais densa e rígida que o Abeto. 
Também conhecida como Sitka ou Abeto Sitka. 
Aplicação: Tampos (acústicos).

 

© 2023 por RBaldez Luthier. Todos os direitos reservados. Proudly powered by Wix.com

  • Ícone do Facebook Preto
  • Ícone do Twitter Preto
  • Ícone do YouTube Preto

WHATS APP: (27)99605-5858